Total de visualizações de página

sexta-feira, 20 de maio de 2011

O HOMEM FORTE DO FMI PODERÁ RECEBER PENSÃO VITALÍCIA DE R$ 513.000 MIL, MESMO SENDO CONSIDERADO CULPADO.

Dominique Strauss-Kahn
                  O   ex-diretor-chefe   do FMI (Fundo Monetário Internacional), Dominique Strauss-Kahn, receberá uma indenização equivalente a R$ 403 mil (cerca de US$ 250 mil), além de uma pensão vitalícia cujo valor não foi especificado. A verba faz parte do contrato que ele havia assinado com a entidade, da qual se desligou de maneira repentina. O FMI confirmou as informações nesta sexta-feira (20).
Dominique Strauss-Kahn foi preso no último sábado, acusado de tentar estuprar uma camareira do hotel onde estava hospedado em Nova York. Ele deve ser liberado nesta sexta após o pagamento de uma fiança milionária. Será a primeira vez que o francês, acusado de agressão sexual, se encontrará com sua família desde que foi detido.
Alguns veículos de comunicação diziam que a indenização poderia chegar a R$ 565 mil (cerca de US$ 350 mil), informação desmentida pelo FMI.  Os números que a imprensa forneceu sobre a pensão anual e outros bônus “foram superestimados”, disse o organismo em comunicado.
Segundo os termos do contrato que Strauss-Kahn assinou quando assumiu o cargo em novembro de 2007, disponível no site do órgão, ele tem direito de participar dos planos de pensões do FMI, assim como qualquer funcionário que tenha trabalhado no fundo por pelo menos três anos.
Segundo a rede de TV americana ABC News, pelo salário, a pensão que ele receberia seria de até R$ 407 mil (ou em torno dos US$ 252 mil). Entretanto, de acordo com a rede de notícias CNBC, nestes três anos seu salário aumentou pela inflação, e por isso esse valor poderia chegar a R$ 513 mil ao ano (o equivalente a US$ 318 mil anuais). (Fonte: R7 notícias).

Nenhum comentário:

Postar um comentário