Total de visualizações de página

sexta-feira, 1 de julho de 2011

O EX-CACIQUE DO FMI PODERÁ SAIR LIVRE DA ACUSAÇÃO DE ESTUPRO.

Dominique Strauss-Kahn.

O caso contra Dominique Strauss-Kahn, o antigo diretor-geral do FMI acusado de ter violentado uma funcionária da limpeza de um hotel novaiorquino, poderá cair por terra depois de terem sido detectadas falhas graves na credibilidade da acusadora, escreve o “New York Times”.

        No centro desta eventual reviravolta no caso está, segundo o NY Times, a falta de confiança que a Acusação começa a ter na acusadora e sobre aquilo que ela alega ter-lhe acontecido no quarto do Sofitel no passado dia 14 de Maio, ainda que haja provas "não ambíguas" de um envolvimento de cariz sexual entre Strauss-Kahn e a funcionária.

O NYT indica ainda que, face a estes desenvolvimentos, o ex-diretor do FMI e grande esperança para as próximas eleições presidenciais francesas, poderá estar a poucas horas de ver aliviadas as suas condições de prisão domiciliária.

Citando dois agentes de justiça não identificados, o "Times" escreve que foram encontrados “grandes buracos” no caso, que serão hoje apresentados diante do supremo tribunal estatal de Manhattan.

De acordo com estas fontes não identificadas pelo jornal, a mulher que acusa Dominique Strauss-Kahn (DSK) teria mentido várias vezes à polícia, nomeadamente sobre o seu pedido de asilo aos EUA (é natural da Guiné). A mulher disse aos investigadores - após o caso DSK - que alegou violação e mutilação genital aquando do seu pedido de asilo, mas os agentes foram verificar os documentos oficiais e essas informações não constam do processo.

Mais: um dia depois de ter acusado DSK, a mulher teria mantido uma conversa por telefone com um homem (alegadamente o seu noivo) que está detido por posse de droga, durante a qual ela discute os possíveis benefícios da acusação contra o ex-diretor do FMI. Essa conversa foi gravada.

Sabe-se igualmente que o seu alegado noivo lhe fazia depósitos regulares de dinheiro na sua conta bancária, bem como vários outros homens, alegadamente amigos do seu noivo. Durante cerca de dois anos, essas transferências para a sua conta bancária terão totalizado a soma de 100 mil dólares, ainda de acordo com o NYT. A credibilidade da mulher poderá estar ferida de morte, ainda que estes desenvolvimentos não signifiquem que DSK é inocente.

Nas últimas semanas, os advogados de DSK - Benjamin Brafman e William W. Taylor III - tinham dito que a  estratégia seria a de verificarem por todos os meios, a credibilidade da mulher.

O advogado da mulher, Kenneth Thompson, ainda não comentou estes desenvolvimentos.

A funcionária do hotel acusa DSK de ter aproveitado a presença dela no quarto enquanto limpava para sair nu da casa de banho e a ter forçado a manter relações sexuais com ele, obrigando-a à prática de sexo oral.

Strauss-Kahn, que sempre se declarou inocente, foi detido em processo de embarque para a Europa, no aeroporto JFK, estando em prisão domiciliária há várias semanas, pagando do seu próprio bolso a segurança privada requerida para este tipo de detenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário