Total de visualizações de página

segunda-feira, 4 de julho de 2011

SUSPEITA DE FRAUDES.

     A presidente Dilma Rousseff se reunirá na tarde desta segunda-feira, por volta das 15h, com o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, para tratar das denúncias envolvendo a pasta e membros do seu partido, o PR, num esquema de propinas em obras federais.
A informação sobre a reunião é de um membro do partido que pediu para não ter seu nome revelado. Nessa reunião, segundo assessores do Palácio do Planalto, haverá outros ministros, além de Nascimento.
Nesta segunda, Dilma e Nascimento já tiveram uma conversa prévia que motivou a emissão de uma nota oficial do Palácio do Planalto de apoio do ministro.
"O governo manifesta sua confiança no ministro Alfredo Nascimento. O ministro é responsável pela condução do processo de apuração das denúncias feitas contra o "Ministério dos Transportes", disse comunicado divulgado pela Presidência da República.
No final de semana, a presidente determinou o afastamento de assessores diretos do ministro, Mauro Barbosa da Silva (chefe de gabinete) e Luís Tito Bonvini (assessor do gabinete), do diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luís Antônio Pagot, e do diretor-presidente da Valec, José Francisco das Neves.
O afastamento ocorreu depois que uma reportagem da revista Veja apontou que os quatro participavam de um esquema de propinas, comandado pelo secretário-geral do PR, Valdemar Costa Neto, que rendia ao partido até 5 por cento do valor de todos os contratos firmados pelo ministério e sob a gestão da Valec e do DNIT.
O PR emitiu nota negando a participação no esquema e está analisando as denúncias para ingressar com uma medida judicial contra a revista.
Nascimento também nega as denúncias e abriu uma sindicância interna no ministério, além de pedir que a Controladoria-Geral da República (CGU) faça uma auditoria nos contratos em questão.
Segundo a revista, Costa Neto, mesmo sem ter cargo na estrutura federal, comandava reuniões com empreiteiros e consultorias que participavam de licitações do governo na área de transportes.
Nesses encontros, os empresários e o político acertavam quais seriam os vencedores das concorrências. O acordo era feito para que todos saíssem ganhando, inclusive o PR.
A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, deve se reunir no final do dia com líderes aliados do Congresso para tratar da estratégia de defesa do governo. Ela deve pedir que eles evitem a qualquer custo a abertura de uma CPI para investigar o caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário