Total de visualizações de página

domingo, 25 de novembro de 2012

Planalto decide demitir Rose e número 2 da AGU.


A presidente Dilma Rousseff decidiu exonerar a chefe do escritório da Representação da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha, indiciada pela Polícia Federal por corrupção e tráfico de influência. O advogado-geral da União substituto, José Weber Holanda, também será exonerado da função que exerce de número 2 do órgão.
Os diretores das agências Agência Nacional de Águas (ANA), Paulo Rodrigues Vieira, e seu irmão, Rubens Rodrigues Vieira, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que estão presos, serão afastados e responderão a processos disciplinares. O processo envolvendo os irmãos é considerado mais complexo pois a indicação deles passou pelo Congresso. Todos os servidores indiciados serão afastados ou demitidos. Os órgãos citados na Operação Porto Seguro da Polícia Federal passarão por sindicâncias internas para que responsabilidades sejam apuradas. As sindicâncias irão verificar se há envolvimento de outros funcionários nas denúncias.
A decisão de afastar, demitir e abrir investigações foi tomada na manhã de ontem pela presidente Dilma, em reunião com o ministro-chefe da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho, no Palácio da Alvorada. A presidente está muito irritada com toda a repercussão do caso e com os respingos que ele terá sobre o Planalto. Por isso, a pressa em chancelar os afastamentos e abrir as investigações internas, para dar demonstração de que o governo está agindo. Dilma tem insistido também que não haverá obstáculo às investigações da PF.
Ela quer saber a extensão dos casos em vários órgãos. A ideia é que até o marido de Rose, que trabalha na Infraero, seja alvo de investigação. Na Advocacia-Geral da União foi montado uma espécie de gabinete de crise, que avalia a extensão dos danos da atuação do número 2 da AGU, José Weber Holanda, que também teve todos os HDs e computadores apreendidos pelos agentes da PF.
Pedido. Dilma não gosta de despachar do escritório de São Paulo e só o faz quando é absolutamente necessário. Nunca teve simpatia por Rose, mas a manteve no cargo a pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem Rose é muito próxima.
A presidente também não gostou de como Rose se comportou quando a PF chegou ao escritório da Presidência para executar o mandado de busca e apreensão. "Ela deu um piti", contou um interlocutor de Dilma. Segundo relatos, ela desacatou os policiais."Vou ligar para a Presidência. Aqui vocês não entram", teria dito.
As exonerações e os afastamento dos servidores serão publicadas no Diário Oficial. As informações são do jornalO Estado de S.Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário