Total de visualizações de página

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Ex-marido de Dilma quer o controle do PDT.

Carlos Araújo, ex-marido da presidente Dilma Rousseff
Ex-marido de Dilma Rousseff, Carlos Araújo decidiu voltar ao PDT para ajudar o ministro Brizola Neto (Trabalho) a tentar tomar o comando do partido do presidente nacional da sigla, o ex-ministro Carlos Lupi.
Ele confirmou à Folha que vai se filiar em janeiro ou fevereiro do próximo ano, quando espera se recuperar de uma doença, "para se unir ao grupo do Brizola", que disputa espaço com Lupi e é, na sua avaliação, "discriminado" no PDT.
"O partido precisa ser oxigenado. Está imobilizado pela atual direção. Eu me identifico com as posturas deles [os Brizolas], oxigena mais o partido." O ministro é neto de Leonel Brizola, líder histórico do PDT morto em 2004.
Ao "Jornal de Brasília", publicação que antecipou a história, Araújo afirmou: "Quero ajudar os netos de Brizola, para que eles ocupem os lugares que merecem no comando do PDT".
Uma das pessoas mais próximas da presidente Dilma, Araújo negou que tenha escolhido voltar ao PDT, onde ambos já militaram, para preparar um plano B a ela.
"Não entraria no PT porque sempre acreditei no movimento trabalhista."
E continuou: "Não discuti nada a respeito com ela [Dilma]. Não vejo razão para ela sair do PT. Ela está no PT, foi eleita pelo PT."

Recentemente, foi atribuída a Araújo a decisão de Dilma de tirar Mauro Hauschild da presidência do INSS. Ele apoiava candidatos adversários dos de Hauschild no Rio Grande do Sul.
Oficialmente, o governo disse que a demissão foi por ineficiência.
O atual comando do PDT ameaça vetar a entrada de Araújo. "Imagina se você vai querer na sua casa alguém que antes de entrar já esteja falando mal de você", afirmou o vice-presidente e líder do partido na Câmara, André Figueiredo (CE).
Lupi afirmou que é "candidatíssimo" a continuar na presidência do partido e negou discriminação. "Hoje o Brizola Neto é vice-presidente, e a irmã dele é secretária. O que pude fazer para ajudá-los eu fiz."
Na semana passada, a disputa entre os grupos de Lupi e Brizola evidenciou-se em reunião do partido. Segundo parlamentares e assessores ouvidos pela Folha, o ponto de maior exaltação foi quando Brizola Neto chegou ao auditório e não foi anunciado pelo secretário-geral do partido, Manoel Dias, que estava com a palavra. Dias é aliado de Lupi.
Diante da falta do anúncio, a irmã de Neto, Juliana Brizola (RS), que é deputada estadual, interrompeu o dirigente e foi prontamente repreendida por Dias: "Tenha um pouco de educação". A intervenção gerou um bate-boca entre os dois.


Fonte: Folha de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário